Biolúdica: voltar


SubirUm leão africano vê um carrapato, começa a tremer de medo e vai se esconder.
O que está acontecendo? O leão precisa de um psiquiatra? O que poderia fazer um leão tremer diante de um carrapato?

Em 1994 e 2001, houve dois episódios de grande mortalidade de leões africanos. Aparentemente, as mortes estavam ligadas a uma infecção viral que, geralmente, não mata. O resultado das pesquisas revelou que os leões morreram por terem sido altamente infectados por um tipo de carrapato que, geralmente, também não mata. Ao desvendar tal enigma, os pesquisadores descobriram que o grande vilão atende pelo nome, já conhecido, de mudanças climáticas.

Ambos os episódios de grande mortalidade dos leões aconteceram após uma severa seca seguida de muita chuva. Durante a seca, muitos herbívoros morreram, em especial, búfalos. Com a chegada das chuvas, houve uma explosão sem precedente das infestações pelos carrapatos. Os leões, ainda enfraquecidos pela infecção viral que os acometeu durante a seca e que causa uma significativa baixa da resistência imunológica, fizeram a festa comendo as carcaças dos búfalos completamente infestados de carrapatos. A combinação de baixa resistência e altíssima infestação de carrapatos resultou explosiva e causou a mortandade dos leões. Ou seja, infecções que são bem toleradas separadamente, podem se revelar fatais quando combinadas. Esses resultados mostraram, pela primeira vez, na prática, como eventos climáticos extremos podem promover uma interação complexa entre agentes causadores de doenças que são normalmente bem toleradas isoladamente, causando infecções simultâneas e levando a taxas catastróficas de mortalidade. E os leões não estão sozinhos, as mudanças climáticas podem transformar esse tipo de combinação em algo freqüente e todos, inclusive nós, poderemos ser as vítimas.

Home Home Ir para Nossos Jogos Ir para Página Principal Ir para a Página Principal